Visconde de Coruche


Caetano da Silva Luz, 1.º Visconde de Coruche (1842-1904)
 

A 23 de fevereiro assinala-se o nascimento de Caetano da Silva Luz, 1.º Visconde de Coruche. “Filho de Dr. José Lourenço da Luz, professor e diretor da Escola Médica Cirúrgica de Lisboa, e de Carlota Joaquina da Silva Luz” (BENTO, 2003, p. 101). Casou, em 1860, com Maria da Conceição Pereira da Costa (BENTO, 2003).

Estudou no Instituto Geral de Agricultura de Lisboa. Aluno distinto, tirou o curso de Agronomia, tornando-se num notável entusiasta pela defesa dos temas agrícolas e uma figura determinante para a História da Agricultura portuguesa (BENTO, 2003; CORUCHE, 2013; ZUQUETE, 1989).

Foi desde 1866 sócio efetivo da Real Associação Central da Agricultura Portuguesa (RACAP), bem como membro de outras corporações agrícolas (ZUQUETE, 1989).

Ao longo da sua vida publicou inúmeros trabalhos, escreveu para jornais, proferiu palestras, promoveu os primeiros congressos do setor agrário em Portugal, organizou e colaborou em várias exposições nacionais e internacionais (CORUCHE, 2013), entre as quais a exposição agrícola representativa de Portugal na Exposição Universal de Filadélfia (BENTO, 2003). 

Como resultado do êxito e reconhecimento dos seus trabalhos, em 1876 foi agraciado, por Decreto do Rei D. Luís, com o título nobiliárquico de Visconde de Coruche (BENTO, 2003; CORUCHE, 2013).

Proprietário da Quinta Grande, nas proximidades de Coruche, ali foram aplicadas algumas das modernizações da agricultura, principalmente no ramo da vitivinicultura (CORUCHE, 2013).

Em 1881 foi eleito Presidente da Direção da Companhia das Lezírias e, durante a sua administração, realizou-se a abertura de um grande canal no rio Sorraia (BENTO, 2003).

Por altura da grave crise cerealífera de 1886, a sua campanha a favor das medidas protecionista à lavoura foram preponderantes a nível nacional (ZUQUETE, 1989).

Além dos seus conhecimentos na ciência agronómica, era igualmente uma personalidade dotada de um grande espírito artístico, tendo desenvolvido diversos trabalhos na área da fotografia [1900 pp. 20 e 29  / 1905 p. 5], da caricatura e de esmaltes sobre porcelanas (ZUQUETE, 1989).

Viria a falecer aos 62 anos, em Lisboa, a 29 de dezembro de 1904 [link cf. pp. 12-13].

 


Referências Bibliográficas:

BENTO, Heraldo - Um olhar sobre Coruche: factos e curiosidades, vivências, Coruche: Câmara Municipal / Museu Muncipal, 2003, pp. 101-103.

CORUCHE - Ribatejo: os nossos vinhos e azeites: à descoberta dos sabores da terra ribatejana, Coruche: Associação para a Promoção Rural da Charneca Ribatejana, p. 157. [Link disponível aqui: acedido a 22/02/2021].

ZUQUETE, Afonso (dir.) - Nobreza de Portugal e do Brasil, Lisboa: Zairol, 1989, Vol. II, pp. 542-543.


Algumas das publicações do 1.º Visconde de Coruche:

Os montados em Portugal (1866);  A agricultura e o paiz (1886); A civilisação das colonias portuguezas pela agricultura (1887); Propriedade Emphyteuse e agricultura (1893);  Projecto de lei permanente de cereaes e farinhas (1894); A questão do alcool e dos vinhos (1896); O que é vinho (1904).

 

 

Atualizado em 23-02-2021